A origem da energia solar vem do século XIX, quando o físico francês Alexandre Edmond Becquerel observou pela primeira vez o efeito fotovoltaico, quando realizava algumas experiências com eletrodos. Alexandre Edmond foi quem criou a energia solar no ano de 1839.

Através da captação da luz, a energia solar é transportada até o inversor solar, funcionando por meio da conversão de energia elétrica estabelecida na rede elétrica da instalação. Sendo assim, é possível gerar energia pelo efeito fotovoltaico.

O custo de um sistema de energia solar varia de acordo com o tamanho da localidade, consumo de energia e características do local de instalação.Sendo assim, os materiais utilizados na placa solar, sua eficiência e durabilidade, além dos gastos referentes à sua instalação influenciam no orçamento.

Ou seja, não basta saber apenas o preço das placas fotovoltaicas, é necessário avaliar o custo do projeto de energia solar em sua casa ou empresa.

Sabendo que a energia fotovoltaica é renovável e constante, não há danos ao meio ambiente pois não depende de uma grande área de instalação. Seus resíduos são eliminados para que evitem a poluição ambiental, evitando também o desmatamento e outros impactos negativos.

Essa é a opção mais procurada porque a energia solar é positiva para o controle do meio ambiente, sendo limpa e renovável, trazendo diversos benefícios.

O uso da energia solar está crescendo em muitos países, a quantidade de eletricidade gerada por meio de painéis solares deve se tornar até 6 vezes maior até 2030. Isso devido ao custo da tecnologia que está menor em comparação ao gás natural e usinas de carvão

É fato que, através do uso de energia solar fotovoltaica, seus gastos com conta de luz são reduzidos. Isto quer dizer que se você não consumir toda energia gerada, o sistema fornecerá seu excedente à rede elétrica e gerará créditos energéticos que podem ser usados em até 60 meses.

O efeito fotovoltaico é a criação de uma diferença de potencial (uma tensão) em um material quando exposto à luz visível ou luz solar.

O efeito fotoelétrico é a emissão de elétrons de um material metálico quando exposto a uma radiação eletromagnética (que pode ser a luz) de frequência maior que o limiar do elétron.

O autoconsumo remoto permite que um consumidor torne-se micro ou mini gerador de energia distribuída, desde que a unidade esteja titularizada em uma mesma Pessoa Física ou Pessoa Jurídica, dentro da área permitida para a geração de energia em um local diferente do local de consumo.

Isso quer dizer que o consumidor que desejar instalar seu próprio mini ou micro gerador de energia distribuída poderá ser recompensado com créditos energéticos através do excedente de consumo pelas redes que fornecem energia em sua localidade. Por exemplo, a energia gerada por um sistema fotovoltaico em um local X pode ser usada para reduzir o valor da conta de luz de um local Y completamente diferente.

Converter kW em kWh é bem simples, basta ter em mente que kWh é a medida de energia gerada. Isto quer dizer que uma potência de 10W gerada durante 6 horas equivalerá a 60Wh. Portanto, se deseja calcular a conversão de kW em kWh, você você precisará multiplicar o número da potência gerada pelo período de horas utilizada.

Mais comum em imóveis comerciais e indústrias, a telha com placa solar é uma aposta para a tecnologia do futuro em residências também. Ela possui um preço competitivo com outras alternativas e contribui para a geração de energia limpa, por esse motivo o material vem ganhando notoriedade no país.

Uma forma de vendê-la é através da instalação de um sistema solar fotovoltaico na sua residência ou estabelecimento, tornando-se um produtor de energia. Feito isso, caso não utilize toda a energia produzida, você poderá vender o excesso para as distribuidoras de energia elétrica do seu estado através de créditos de energia que geram economia em sua conta.

Em primeiro lugar, podemos considerá-los como uma forma complementar às soluções modernas de armazenamento. Ou seja, existe a possibilidade de integração entre capacitores e bateria para gerarem uma maior duração, além de serem recarregados rapidamente.

Como é esperado, a produção de energia solar em dias chuvosos ocorre de modo inferior aos dias ensolarados. Isto acontece porque os painéis solares necessitam da incidência solar direta, logo, com a sua diminuição em dias de chuva, reduz-se a geração de energia solar.

Entretanto, é muito importante destacar que a diminuição não significa que seu sistema fotovoltaico parará de funcionar. Além disso, a chuva também contribui para a manutenção dos seus painéis solares, retirando toda a sujeira e outros elementos que possam prejudicar a operação. Sendo assim, mesmo com a baixa luminosidade causada por períodos chuvosos, seu sistema continuará funcionando de modo mais lento, mas ainda favorável.

Assim como a geração de energia solar em período de chuva, em dias nublados também há uma baixa no seu funcionamento. Desta forma, a grande formação de nuvens torna a incidência solar nos painéis difusa, o que minimiza a produção de energia.

Porém, existem painéis solares desenvolvidos especialmente para situações como esta, uma vez que são capazes de aproveitar a incidência solar mesmo com a difusão causada por nuvens. Em vista disso, com a geração de energia produzida pelo sol atrás das nuvens, torna-se mais fácil o aproveitamento regular, não só com a irradiação direta.

Fale agora com um especialista

Vamos avaliar os seus objetivos e construir um plano personalizado de acordo com a sua necessidade.